Categorias
Ginecologia

Vulvovaginite: sabe o que é?

É uma alteração inflamatória ou infecciosa da vulva, vagina e colo do útero, podendo ser causada por infecção de bactérias, protozoários e fungos ou por alteração da própria flora bacteriana. O problema acomete, principalmente, mulheres na idade reprodutiva e é causado normalmente pela proliferação desses germes, associada à baixa de imunidade. Os principais sintomas são:

  • corrimentos líquidos ou grumosos;
  • odor fétido;
  • prurido (coceira na vagina);
  • hiperemia (vermelhidão);
  • irritação;
  • dor durante a relação sexual;
  • ocasionalmente, presença de lesões externas e internas como bolhas, úlceras e verrugas.

Embora a vulvovaginite possa surgir em todas as mulheres e em qualquer idade, é mais frequente em mulheres que já iniciaram a atividade sexual, uma vez que o contato íntimo facilita o contato com bactérias.

Alguma secreção vaginal é esperada para todas as mulheres, em geral leitosa, em quantidade moderada variando, na época da ovulação com secreção transparente como “clara de ovo”, estas são normais e saudáveis, não podemos confundi-las com doença. Muitas mulheres são submetidas a tratamentos desnecessários por não compreenderem sua própria fisiologia.

Quando essa secreção aumenta em quantidade, muda de aspecto, torna-se amarelada ou esverdeada, ou ainda branca mais espessa parecendo “nata de leite”, com odor mais forte e às vezes fétido e vem acompanhada de coceira, desconforto, inchaço e vermelhidão da região genital estamos diante de uma vulvovaginite, ou seja infecção genital.

Segundo a Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, em alguns casos, o contágio se dá através da relação sexual. Contudo, em outras situações, podem ser transmitidas por fômites (objetos contaminados) ou são oriundas de queda nos mecanismos de defesa da mulher, as chamadas infecções oportunistas.

No caso de infecção por baixa defesa imunológica, a vulvovaginite não é contagiosa. Para o tratamento dessa doença ginecológica podem ser utilizados antibióticos, antifúngicos, corticóides, uso de estrogênio, higiene local, banho de assento e uso de roupas adequadas. Entretanto, especialistas da área alertam que o problema pode voltar, caso o tratamento não seja realizado adequadamente.

As causas mais comuns de vaginites são bactérias (Gardnerella vaginalis, Clamídea, etc.) em 40-45%, fungos (Candida) em 20-25%, protozoários (Tricomonas) 15-20% mas muitas mulheres ficam sem diagnóstico apesar de apresentarem sintomas persistentes.

Como é feito o diagnóstico?

Na maior parte dos casos o diagnóstico da vulvovaginite é feito pelo ginecologista apenas através do relato de sintomas da mulher, no entanto, também pode ser necessário recolher alguma secreção vaginal para que seja analisada em laboratório de forma a identificar a causa correta e iniciar o tratamento adequado.

Exame ginecológico cuidadoso é o mais importante para o diagnóstico que pode ser complementado com Colposcopia, teste de ph, cultura da secreção vaginal, entre outros.

A partir do diagnóstico é direcionado o tratamento em geral com cremes ou óvulos vaginais em dose única ou pelo período de 7-14 dias dependendo da etiologia (tipo de microorganismo) e gravidade da infecção, além de medicação sistêmica, e devemos, na maioria dos casos tratar o parceiro ou parceira também. Nas mulheres em fase de Climatério ou pós menopausa o uso de cremes com hormônios e laser vaginal também deve ser cogitado.

Principais causas

Existem várias causas para o surgimento de inflamação na vulva e na vagina, sendo que a mais comuns incluem:

  • Excesso de fungos, como candidíase;
  • Infecção por vírus ou bactérias;
  • Falta de higiene ou uso de roupa íntima muito apertada;
  • Infecção por parasitas, como sarna ou vermes;
  • Doenças sexualmente transmissíveis, especialmente tricomoníase.

Além disso, algumas mulheres também podem desenvolver vulvovaginite devido a hipersensibilidade a algumas substâncias químicas como parabenos ou sulfato de sódio que estão presentes em sabonetes, detergentes para roupa ou cremes. Nestes casos, os sintomas surgem pouco tempo após usar o produto e melhoram quando a região é lavada com água morna e um sabonete íntimo adequado.

Com relação às crianças, outra causa muito comum é o baixo nível de estrogênios no organismo que facilita o desenvolvimento de infecções vaginais, causando a vulvovaginite.

Como é feito o tratamento

O tratamento varia de acordo com a causa da vulvovaginite, sendo que no caso de infecção por bactérias devem ser utilizados antibióticos, enquanto que no caso de excesso de fungos deve ser usado antifúngicos, por exemplo. Assim, é sempre importante consultar o ginecologista para saber qual o tratamento adequado.

Também se deve dar preferência para o uso de roupas íntimas de algodão, saias e vestidos que ajudem a ventilar a região genital, diminuindo o risco de agravamento da infecção.

Cuidados

Os cuidados gerais também são fundamentais e devem sempre ser orientados. Evitar produtos que irritam a mucosa, como perfumes, sabonetes e roupas de lycra, evitar uso de amaciantes nas roupas que tem contato direto, assim como biquíni molhado ou roupa de ginástica por muito tempo. A forma de higiene íntima sempre limpando a região da frente para trás.

Após o tratamento, para aquelas que apresentam recorrência das infecções é fundamental que pensemos em prevenção que vai desde o controle do stress e ansiedade, principalmente nos períodos pré-menstruais e menopausa. Cuidados com a alimentação, principalmente evitando excesso de consumo de 3 grupos alimentares, são eles doces e açúcar, leite e derivados e frutas ácidas que comprovadamente para algumas mulheres pioram, enquanto a ingestão de alho e lactobacilos tendem a proteger.

Atenção quanto a hábitos sexuais, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis através de uso de camisinha. Todos aqueles cuidados com o uso de sabonetes neutros para região genital e para lavar as roupas íntimas, manter-se com a roupa seca valem para a prevenção também. Para mulheres mais maduras o uso de cremes com hormônios e laser vaginal. Em alguns casos os indutores do sistema imune e vitaminas, além de medicação antifúngica preventiva podem ser utilizados.

Enfim, as infecções vaginais são muitas vezes um tormento na vida das mulheres e infelizmente, apesar de comuns, algumas delas são de difícil tratamento e dependem de muitos fatores, hábitos de vida e sexuais. Por esta razão é fundamental o autoconhecimento para verificar os alertas emitidos pelo corpo quando algo está fora do normal. 

Vulvovaginite Manaus

Você pode encontrar profissionais para tratar a vulvovaginite em manaus na plataforma Ipok, um aplicativo inovador de Bem-Estar e Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura ou apenas avaliar o atendimento de um profissional de saúde. Além, de efetuar buscas por profissionais especializados de acordo com suas enfermidades e também, poder acompanhar informações detalhadas para cada doença ou diagnóstico médico.

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou no serviço público de saúde.
FONTE: Ministério da Saúde; Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, International Federation of Gynecology and Obstetrics.

Categorias
Dermatologia

A herpes-zóster

A herpes-zoster é uma doença infecciosa causada pelo vírus varicela-zóster – o mesmo responsável pela catapora. Geralmente adquirido na infância – momento em que a maioria dos brasileiros manifesta as feridas clássicas e a coceira da catapora -, ele pode ficar anos dormente no organismo e “acordar” a qualquer fase da vida. Quando desperta, o vírus faz surgir dolorosas bolhas pelo corpo.

De acordo com especialistas o vírus fica alojado em gânglios nas regiões do tórax ou do abdômen e um dia, por causa da queda da imunidade ou porque a pessoa está mais velha, ele aparece como herpes-zoster.

O distúrbio pode atingir mesmo aqueles que não tiveram catapora na infância, mas podem desenvolver a doença na vida adulta. Estima-se que cerca de 94% da população brasileira está infectada com o varicela-zóster.

A doença é mais comum após os 50 anos – no entanto, o diagnóstico em jovens tem sido frequente. O estresse é um dos fatores que vem mudando o perfil daqueles afetados pela infecção e fazendo a doença aparecer cada vez mais cedo.

Quais são os sintomas da Herpes Zóster?

O quadro clínico do herpes-zóster, ou seja, os sinais e sintomas da doença, é quase sempre típico. Na maior parte dos casos, antecedem às lesões cutâneas (na pele) os seguintes sintomas:

  • dores nevrálgicas (nos nervos);
  • parestesias (formigamento, agulhadas, adormecimento, pressão etc);
  • ardor e coceira locais;
  • febre;
  • dor de cabeça;
  • mal-estar.

Prevenção

A única forma de prevenir a herpes-zóster é por meio de uma vacina contra o varicela-zóster na vida adulta. Desde 2014, o Brasil conta com uma, a Zostavax, produzida pela Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda. 

No entanto, o produto está disponível somente na rede privada e tem indicação apenas para aqueles acima dos 50 anos. Pessoas antes dessa faixa etária, não são elegíveis para o imunizante. 

A vacina, contudo, não é sinônimo de proteção total. De acordo com a fabricante, o produto tem eficácia média de 70% – o que significa que três em cada dez pessoas que tomam a vacina podem vir a desenvolver a doença ainda assim.

Em outubro, os Estados Unidos aprovaram um novo imunizante, a Shingrix, produzida pela GlaxoSmithKline. A vacina também é recomendada para aqueles acima dos 50, mas promete eficácia maior contra a doença, de 90%. Não há previsão de quando o produto deve chegar no Brasil.

Tratamento

A doença pode deixar sequelas, que vão de cicatrizes a cegueira e surdez. Também é comum a neuralgia pós-herpética, conhecida como nevralgia, uma condição dolorosa que é ativada na maioria daqueles que desenvolvem a herpes-zoster e que pode durar vários anos. A condição pode ser tão intensa que afeta movimentos simples, como vestir-se ou levantar-se da cama.

O tratamento envolve medicamentos antivirais e analgésicos e, quanto mais cedo o paciente buscar o hospital, maior as chances de sucesso. O princípio ativo utilizado para conter a herpes-zoster, o aciclovir, evita a expansão das lesões, mas só tem efeito se tomado até 72 horas após o aparecimento dos sintomas. Por isso, rapidez na busca de ajuda é essencial.

Relação do herpes zóster com o sistema imunológico

Apesar de aparecer em pessoas de todas as idades, a doença é desenvolvida principalmente após os 50 anos, pois o sistema imunológico fica mais debilitado com o passar dos anos: quanto maior a idade, mais fraco ele fica. Baixas no sistema imunológico em qualquer idade podem acarretar o desenvolvimento da herpes zóster.

Estresse, diabetes descontrolado e tratamento à base de corticoides são alguns fatores que podem afetar a imunidade. Em cerca de 15% dos casos da doença, o vírus segue o trajeto do nervo trigêmeo, responsável por enervar a face. Quando isto ocorre, há chance de que o vírus afete o nervo óptico, podendo levar à cegueira.

Cuidados na Gravidez

A infecção materna por varicela no 1º ou no 2º trimestre da gestação pode resultar em embriopatia, aborto ou má formação. Nas primeiras 16 semanas de gestação, pode causar a síndrome da varicela congênita que se caracteriza por baixo peso ao nascer, malformações das extremidades, cicatrizes cutâneas, microftalmia, catarata e retardo mental. Gestantes não imunes (não vacinadas ou nunca apresentaram a doença), que tiverem contato com casos de varicela e herpes zóster, devem receber a imunoglobulina humana contra esse vírus, disponível nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIEs). A forma mais eficaz da prevenção da doença é através da vacinação. A vacina tetraviral é oferecida na rotina aos 15 meses de idade para as crianças que receberam a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) entre 12 e 14 meses de idade. Caso ela não tenha recebido a tríplice antes dos 15 meses, esta deverá ser administrada, devendo ser agendada a tetraviral pelo menos 30 dias após a tríplice.

Tratamento da doença em Manaus

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou, no último dia 10, a medida provisória n° 335/2019, cujo objetivo é fazer com que o governo do Estado, através da Secretaria de Saúde, intensifique nos últimos anos campanha de conscientização sobre a doença Herper-Zoster para a população. Caso você precise agendar um dermatologista em Manaus , agende sua consulta através do aplicativo ipok.

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou no serviço público de saúde.

FONTE: Ministério da Saúde; Sociedade Brasileira de Dermatologia, Fundação Alfredo da Matta e International Society of Dermatology

Categorias
Endocrinologista

Endocrinologista em Manaus

Nem sempre é fácil encontrar um endocrinologista em Manaus facilmente, hoje através da internet o ipok tornou isso mais fácil em Manaus, e vamos apresentar o perfil do Dr. Mário Quadros é um médico endocrinologista em Manaus e metabologista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM), formado em 1988 pela Universidade Federal do Amazonas.

Realizou sua residência médica em 1992 em um hospital do SUS em São Paulo.

Em São Paulo, Mário Quadros se especializou nas áreas da medicina de emagrecimento, orientação para atletas, medicina estética (IBRAPE) e ganho de massa muscular. Mário considera essencial o suporte dado para as pessoas a partir dos 35 anos para que se tenha um bom desempenho físico. “Então minha área de atuação fica na parte estética, da obesidade (perda de peso) e ganho de massa muscular e isso se capitaliza em tratamentos estéticos, fiz um curso no IBRAPE de medicina estética em São Paulo”, cita.

Em 2003, Quadros inaugurou a clínica Body Clinic em Manaus atendendo todas as especialidades, inclusive a área de ginecologia e medicina estética. A clínica surgiu como forma de facilitar a vida do médico e do paciente. 

A Body Clinic conta com um centro de diagnóstico em Ginecologia, endocrinologia e clínica estética com aparelhagem de última geração para maior comodidade de seus pacientes. 
Além dessas especialidades, o médico buscar atuar e conscientizar seus pacientes sobre a importância da área para a saúde da população. Quadros menciona sua preocupação com os portadores de diabetes, considerada a principal doença atrelada a endocrinologia, sendo que 10% da população brasileira é diabética. 

“A diabetes traz muitas complicações, ela é a principal causa de cegueira, amputação de membros inferiores, principal causa do infarto do miocárdio, pedra na vesícula e de lesão renal. Então se a gente não tratar o diabetes vai ter o aumento de pacientes com complicações no rins, nos olhos, nos membros inferiores, então a importância da endocrinologia é porque se não consertar logo isso, o problema vai desaguar lá na frente”. menciona o especialista. 

Sobre as complicações mais recorrentes na cidade de Manaus, o especialista comenta que a obesidade é o problema que mais afeta a população, cerca de 56% das pessoas que vivem em Manaus estão acima do peso e, 25% delas já são consideradas obesas. Tudo isso se deve ao fato da má alimentação feita por esses indivíduos. 

“Então a obesidade na região vem aumentando, o número de obesos praticamente dobrou em uma década. Isso se deve pela quantidade de carboidratos que a população come, então o amazonense não gosta muito de comer salada, então isso facilita o ganho de peso”. finaliza.

Possui experiência em:
Crescimento e desenvolvimento / Emagrecimento e ganho de peso
Ganho de massa muscular / Tratamento de diabetes
Doenças da tireóide / Doenças das glândulas
Reposição hormonal / Osteoporose / Medicina estética

– Dr. Mário Quadros também é membro Internacional da Endocrine Society;

– A Consulta inclui a bioimpedância.

Categorias
Ciências Sociais

O papel das ciências sociais na saúde pública

A atenção integral à saúde é um direito de todos, visando a prevenção, bem-estar e qualidade de vida da população

O que são as ciências sociais?

Essa área de ensino superior tem como finalidade estudar os fenômenos, os hábitos e costumes da sociedade, isto é, importante para interpretar melhor as diferentes realidades sociais existentes, assim como para entender quais são os valores morais e sociais que fazem parte de um grupo, sua diversidade cultural e o modo de comportamento dos indivíduos. 

As ciências sociais são importantes para a compreensão das transformações que a sociedade passou ao longo do tempo e, passa até os dias atuais, assumindo um papel fundamental na formação dos cidadãos.

As ciências sociais englobam três diferente áreas, a sociologia, antropologia e ciência política, para compreender o funcionamento da sociedade, além de estudar os fenômenos sociais atuais.

Quem são os cientistas sociais?

Este profissional é responsável pelas pesquisas em ciências sociais e trabalha com a investigação dos diversos aspectos formados pelo indivíduo e como o seu comportamento têm influência na sociedade.

Para se tornar um cientista social, o indivíduo deve estudar pelo menos quatro anos nos graus de bacharelado e licenciatura em curso de ciências sociais. O curso pode ser presencial ou a distância e ser reconhecido pelo ministério da educação (MEC).

O mercado de trabalho abrange várias áreas, além de trabalhar como pesquisador em institutos de pesquisa, o profissional pode ministrar aulas, realizar palestras, trabalhar em órgãos públicos e privados, organizações (ONGs), que necessitam de um profissional qualificado.

Qual é o papel das ciências sociais na área da saúde?

Para entender mais sobre o assunto, é importante ressaltar o papel da saúde coletiva na sociedade, que está relacionada a aplicação de técnicas que possam contribuir na resolução dos problemas e situações relacionados a saúde das pessoas, tendo como objetivo promover a qualidade de vida dos grupos sociais.

Quando falamos de políticas públicas, logo associa-se aos direitos básicos do cidadão, como saúde, educação, segurança, saneamento e habitação. 

Ao abordamos esses direitos, logo percebemos a precariedade e descentralização da saúde básica no Brasil. 

Há quem diga que a saúde pública no país está um caos, principalmente pela falta de investimentos por parte do poder público. No Brasil, é bastante comum encontrar as unidades de saúde lotadas e sem as condições mínimas para atender a população. 

Ao longo do tempo, a atenção à saúde básica têm sofrido várias alterações e, uma das mais significativas foi a colaboração das ciências sociais para a saúde coletiva, tendo como foco principal a relação entre médico e paciente, não sendo apenas técnico e biológico, mas, humanístico ao lidar com o cidadão e não somente com a doença, visando o pleno bem-estar dos grupos sociais.

Portanto, a inclusão das ciências sociais na formação do profissional em saúde, contribuiu com a conduta do médico na área, tornando os atendimentos mais humanizados, mantendo uma relação calorosa com o paciente que necessita dos mais variados cuidados médicos, tanto social como de saúde. 

As ciências sociais contribui para a melhoria do sistema de saúde, estudando e aplicando estratégias que possam cooperar com a promoção da saúde para a sociedade, através das estruturas organizacionais públicas.

O que é a saúde pública?

Para falar sobre a saúde pública é importante frisar o papel do estado dentro dessas medidas que garantem a qualidade de vida e o bem-estar da população. A saúde pública abrange medidas relacionadas a prevenção de doenças, a higiene e manutenção da saúde da população. Essas medidas são capazes de promover a saúde individual através de campanhas feitas para o coletivo.

Para alertar as pessoas sobre o risco dessas endemias que atingem parte da população, principalmente nas áreas subdesenvolvidas, o estado propõe através das campanhas de vacinação a prevenção para as doenças como a dengue, febre amarela, sarampo, meningite, tuberculose, entre outras que têm preocupado os órgãos públicos e a sociedade.

O agente da saúde pública desempenha a atividade de vigilância sanitária e epidemiológica, alertando a população através de ações educativas sobre os riscos que às endemias podem trazer em termos de mortes e agravação dessas doenças entre a coletividade.

É através do Sistema Único de Saúde (SUS), que as ações são feitas. O sistema de saúde engloba o tratamento de doenças de baixa e alta complexidade, além dos serviços de urgência e emergência, como também o combate às endemias e serviços de vigilância epidemiológicas, sanitárias e ambientais.

Categorias
Cardiologia

Descubra tudo sobre as causas do distúrbio nos batimentos do coração

Arritmia cardíaca é o distúrbio dos batimentos do miocárdio (coração). Na maioria das vezes ocorre ocasionalmente, mas, se houver a frequência do problema pode se agravar e levar ao colapso do coração. Algumas medidas devem ser tomadas para o ritmo cardíaco normalizar.

A arritmia cardíaca pode ser de dois tipos: as taquicardias e as bradicardias, a primeira ocorre quando há o batimento acelerado do coração e a segunda, quando a frequência cardíaca é lenta.  Em casos extremos as arritmias podem levar à morte súbita, quando não há um controle do bombeamento do sangue para o coração. 

Um coração bate de 60 a 100 por minutos, em alguns casos como o estresse e ansiedade, as batidas podem chegar a 200 batimentos por minuto, isso em um coração normal, onde as batidas se restabelecem rapidamente. 

Fatores de risco

As doenças do coração apresentam entre suas principais causas o uso exacerbado de cigarros, álcool, cafeína, drogas, hipertensão e diabetes descontroladas, estresse, artérias bloqueadas etc, o que desencadeia batimentos cardíacos extras na fibrilação atrial e ventrículos. 

Fique ligado! Se os batimentos forem acompanhados pela falta de ar ou tontura, pode indicar doenças cardíacas.

Para o cardiologista, Dr. Bernardo Medeiros, as pessoas devem estar atentas ao mal que o sedentarismo pode causar. “Outros fatores como obesidade, diabetes, pressão alta, também são importantes e determinantes para a ocorrência de doenças cardiovasculares”, cita o médico.

Sintomas

A arritmia cardíaca apresenta sintomas, como:

  • Batimentos acelerados e lentos;
  • Tontura;
  • Desmaio;
  • Palidez;
  • Falta de ar;
  • Enjoos;
  • Dor no peito;
  • Sudorese;

Preste atenção nos sinais do seu coração para não desencadear outras complicações, como:

  • AVC;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Angina;
  • Ataque cardíaco;
  • Morte súbita;

Diagnóstico e tratamento

No caso de arritmia cardíaca o mais indicado é procurar um cardiologista Manaus, especialista responsável por se ocupar do diagnóstico e do tratamento de doenças e disfunções relacionadas com o sistema cardiovascular, na consulta o médico avaliará seu caso e passará exames como:

  • Eletrocardiograma;
  • Ecocardiograma;
  • Monitoramento holter;
  • Monitoramento de arritmias esporádicas;
  • Exame de estresse;
  • Tilt teste;
  • Estudo eletrofisiológico;

Em casos mais graves é necessário um tratamento urgente por meio de choque elétrico, implante de marca passo e medicações intravenosas. 

O especialista pode receitar medicamentos antiarrítmicos para regular os batimentos cardíacos.

Como prevenir?

Para prevenir a arritmia cardíaca e outras demais doenças é importante a realização de atividades físicas regularmente e uma alimentação adequada. Maus hábitos como o fumo, uso de álcool e comidas gordurosas devem ser evitadas. Amenizar o estresse é essencial para se obter uma vida saudável e bem-estar emocional sob controle. 

Não esqueça! A realização de visitas periódicas a um cardiologista é fundamental. Cuide do seu coração. 

Categorias
Ciências Sociais

Soluções eficazes que qualquer um pode usar para manejo da Diabetes

Dependendo da causa de seu diabetes, você poderia possivelmente, eliminá-lo inteiramente ou apenas reduzir severamente os efeitos dele, fazendo mudanças na sua dieta e no seu estilo de vida. Este artigo irá mostrar-lhe algumas maneiras de reduzir os efeitos da sua diabetes e trabalhar para libertar-se, mas o ideal é que você possa marcar uma consulta com um endocrinologista, e se você mora em Manaus, pode encontrar endocrinologistas em Manaus, facilmente, clicando aqui.

Qualquer regime de exercício para um diabético e para perder peso, deve incluir exercícios cardiovasculares e de musculação. Cardio é uma ótima maneira de queimar a gordura, mas os estudos mostraram que o treinamento do peso, igualmente, ajuda a impulsionar o metabolismo e a transformar a gordura no músculo.

Verifique, frequentemente, o seu nível de colesterol, bem como, a sua pressão arterial! Se você tem diabetes, o açúcar no sangue não é a única coisa que você precisa para manter o foco. A Diabetes, também, pode aumentar a probabilidade de colesterol ruim no seu sangue, então você precisa manter o controle mesmo se você não está comendo alimentos fritos e gordurosos. Outo ponto que precisa de atenção é a pressão arterial que também pode ficar elevada, levando a dores de cabeça, desmaio, e até mesmo derrames.

Se você foi diagnosticado com diabetes, precisa manter uma dieta diária. Esta será uma ferramenta muito útil pra você! Esse diário permitirá que você acompanhe o que e quanto você está comendo. Ele também irá ajudá-lo a detectar um padrão que você pode ter para um certo desejo em uma determinada hora do dia. Você será capaz de ver quais os alimentos causam o seu nível de glicose no seu sangue. Talvez você pode fazer algumas alternativas saborosas que não terá tal efeito sobre o seu diabetes. Fazê-lo irá ajudá-lo a evitar quaisquer dores de cabeça desnecessárias.

Pedicures pode ser problemático quando você tem problemas com diabetes. Diabéticos são propensos a infecções do pé ruim, portanto, você precisa ser especialmente cuidadoso de qualquer corte ou punção que você recebe lá.

Para manter seus níveis de açúcar no sangue controlados, pesquise o valor do índice glicêmico dos alimentos. Se você não tem o conhecimento sobre que ingredientes você deve evitar, você pode consumir algo prejudicial sem realizá-lo. Se você precisa comer algo rapidamente e não tem tempo para procurá-lo, dê preferência para alimentos não processados.

Se você é um diabético e você está tentando conceber um bebê, faça uma consulta com um endocrinologista, e se estiver em Manaus clique aqui em endocrinologista em Manaus . As mulheres podem ter diabetes pode ter problemas para conceber ou transportar um bebê e esse profissional pode dar conselhos valiosos sobre alimentos, dietas e medicamentos para ajudá-lo a ter uma gravidez saudável.

Ter diabetes não tem que significar que você é um escravo da doença. Com algum trabalho duro e determinação, você pode enganar ele e mudar seu corpo de várias maneiras. Este artigo mostrou-lhe como você pode ter o poder sobre o diabetes, em vez de ele ter o poder sobre você.