Categorias
cardiologia

Portadores de cardiopatia devem manter check-ups mesmo na quarentena

Apesar do crescente número de suspeitas e confirmações de coronavírus ser a maior de casos nos postos de saúde e hospitais do país, pacientes com problemas vasculares e outras enfermidades também dão entrada nas emergências dos hospitais, diariamente, em todo o país.

Doenças como trombose, aneurisma da aorta, doença arterial obstrutiva periférica e pé diabético precisam de acompanhamento médico regular. E, ao menor dos sintomas de piora do quadro, o angiologista ou o cirurgião vascular que acompanha o caso deve ser procurado.

A Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) preocupa-se com os pacientes que não seguem as recomendações de cuidados e acompanhamento das doenças vasculares no período de quarentena, e aconselha que o acompanhamento médico seja feito, ao menos, por telefone ou videoconferência.

Segundo o diretor de Publicações da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular Nacional, o cirurgião vascular Marcelo Calil Burihan pacientes com comorbidades podem apresentar quadros mais complexos com a covid-19, como diabéticos, hipertensos, coronariopatas, cardiopatas, tem normalmente uma piora do quadro quando associado ao coronavírus.

“Tem se observado um aumento da trombose nos pacientes com covid-19, sejam elas tromboses venosas ou arteriais de membros superiores ou inferiores, parece haver um processo inflamatório mais acentuado nos pacientes com covid-19, propiciando uma maior trombose arterial e venosa,”

No entanto, é preciso frisar que não significa que pacientes com doenças cardiovasculares são mais propícios à covid-19

Quando ir ao pronto socorro

Mesmo com os hospitais cheios, Burihan chama atenção para sintomas que não podem esperar por atendimento médico. “Pacientes que precisam de uma consulta imediata são aqueles portadores de isquemia, que podem ter perda de movimento. Isso pode ser uma isquemia arterial aguda, que tem um caráter emergencial.”

Outro caso emergencial é o de aneurisma de aorta. “Mesmo que saibam ou não, pacientes que tenham uma dor abdominal intensa com suor, que normalmente podem ter rutura ou expansão de aneurisma, também um quadro de urgência médica. Tem também os pacientes com pés diabéticos, que podem ter lesões que podem infeccionar e devem ser tratados com urgência para que esses pacientes não venham a ter uma perda da vida”, destaca.

O especialista alerta que dores agudas ainda merecem atenção. “Alguns pacientes que têm dor no membro inferior ou superior, dores mais aguda, necessitam realmente uma consulta mais rápida para saber se é um quadro circulatório ou não. Quadros com edema abrupto na perna podem ser sintomas proporcionados por uma trombose venosa aguda, que também é quadro emergencial que precisa ser tratado”.

Quem pode esperar

Para evitar contágio ou disseminação do coronavírus, determinadas consultas podem ser adiadas para depois da quarentena, recomenda Burihan. “Pacientes portadores de varizes podem postergar suas consultas para não correrem o risco de serem contaminados em ambulatórios ou consultórios ou mesmo transmitir o covid-19 sendo muitas vezes assintomático”.  

Mas quem já teve ou tem as outras doenças vasculares, deve ficar atento aos sintomas.

Pacientes com problemas mais graves, como os citados acima (trombose, feridas infectadas, erisipela, AVC, isquemia arterial) devem estar atentos aos sinais de alarme e procurar pronta assistência.

Os pacientes que fazem uso de anticoagulantes devem manter contato com seu cirurgião vascular assistente, tanto para controle da anticoagulação ou para reportar sinais de sangramento urinário, nasal, genital, digestivo.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica, incluindo Telemedicina em manaus, de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com cardiologistas em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou em alguma unidade de saúde pública mais próxima da sua região.

FONTE: Agência Brasil (Ministério da Saúde)

Categorias
telemedicina

Telemedicina: a melhor opção neste período de isolamento social

No ipok, aplicativo de marcação de consultas, você marca um atendimento médico via telemedicina sem sair de casa e ajuda a desafogar o sistema de saúde. O app proporciona uma nova experiência em saúde para a população

A busca por atendimento médico neste período de pandemia do novo coronavírus tem sido uma saga para muitos pacientes que precisam de um atendimento médico por outros motivos que não sejam os de covid-19. Pensando nisso, o ipok, maior aplicativo de marcação de consultas, do Amazonas, está unindo médico e pacientes em diversas localidades, não só em Manaus, mas principalmente no interior do estado. No entanto, sem perder a qualidade de um atendimento médico pessoalmente em uma clínica ou consultório e o melhor, no conforto do lar de cada paciente através da telemedicina. 

O Ministério da Saúde liberou, no dia 20 de março, por meio de edição extraordinária do Diário Oficial da União, os atendimentos remotos em função da pandemia do novo coronavírus no país. 

De acordo com o fundador do ipok, Thiago Mota, os médicos cadastrados na plataforma liberam suas agendas para os usuários, bem como determinam o preço de cada consulta. O paciente, por sua vez, terá a possibilidade de agendar a consulta, efetuar o pagamento e, na data marcada, receber o atendimento do médico, de forma online, pelo site ou aplicativo do ipok.   

Outro ponto importante, segundo Mota, durante a crise do coronavírus, por exemplo, é que uma pessoa consegue, por meio da telemedicina, entrar em contato com um pneumologista, otorrinolaringologista, infectologista ou qualquer outra especialidade médica obter informações e esclarecer dúvidas sobre o novo coronavírus ou outras enfermidades, sem sair de casa. Evitando desta forma, o risco de contrair ou disseminar a covid-19. Sem contar com pacientes que buscam por um atendimento médico, odontológico ou exame de rotina, mas que estão confinados no isolamento social.

“A telemedicina ajuda a mitigar os riscos de contágio, já que o doente não vai expor os demais pacientes no pronto-socorro e os demais profissionais de saúde. Mas é importante dizer que se sentir desconforto respiratório ou falta de ar, ele deve procurar sempre uma unidade de saúde”, aponta Mota.  

Além de reduzir a propagação da covid-19, o serviço de telemedicina possui outros benefícios como redução de custos e otimização de tempo e deslocamento. Outra vantagem é que o paciente não precisa se ausentar do trabalho para fazer a consulta.

Benefícios da telemedicina

Os benefícios gerados pela área são infindáveis, porém, levantamos alguns dos principais:

Aproximação do médico com o paciente, garantindo acolhimento à saúde onde e quando for necessário;

Atendimento a distância às comunidades que precisam, mas não tem acesso ao médico;

Acessibilidade a uma grande parte da população;

Maior agilidade nos atendimentos, devido à sistematização do processo por meio de softwares de saúde online;

Segurança estrutural e sigilo de dados, conforme normas internacionais;

Ampliação da agenda clínica dos especialistas;

Envio de exames para laudo 24 horas por dia com resposta ágil e atendimento nacional;

Maior especialização no diagnóstico de laudos;

Redução do tempo de atendimento e dos custos operacionais.

sobre o ipok

O ipok é uma startup de marcação de consultas criada em maio de 2019 para facilitar a busca por profissionais e serviços de saúde, em Manaus. Com mais de 700 profissionais, dezenas de clínicas, consultórios e laboratórios, a startup proporciona uma nova experiência em saúde para a população.

O objetivo do ipok é ampliar a presença no mercado particular, agregando novos segmentos, como fisioterapeutas, médicos, dentistas, esteticistas, entre outros profissionais de saúde e home care. Atualmente a plataforma tem cerca de 700 médicos e 5.000 usuários cadastrados.  

Com 4.700 médicos, o Amazonas tem uma das menores taxas demográficas de médicos por habitantes do Brasil. São apenas 1,19 médicos para cada mil habitantes e 93% (noventa e três por cento), deles, estão concentrados em Manaus.  

Saiba Mais

O Serviço de telemedicina, do ipok, é composto por diversos profissionais de saúde, que realizam atendimento remoto das pessoas que necessitam de cuidados de saúde normais e mais intensivos. Para acessá-lo clique em ipok.app e clique na opção telemedicina em Manaus.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com infectologistas em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou em alguma unidade de saúde pública mais próxima da sua região.

FONTE: ipok e Conselho Federal de Medicina (CFM).

Categorias
cardiologia

Crianças e adolescentes também podem sofrer de hipertensão; saiba como prevenir

A hipertensão, mais conhecida como pressão alta, é uma doença crônica que se caracteriza pelos níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias. Além, de ser um dos principais fatores de risco para a ocorrência de acidente vascular cerebral, enfarte, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca. 

A incidência aumenta conforme a idade, sendo que um terço das pessoas entre 30 e 50 anos e dois terços acima dos 65 têm a condição. No entanto, crianças e adolescentes não estão fora desse índice e também podem ter pressão arterial alta, todavia os cuidados desde a infância são essenciais na prevenção.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), o problema é herdado dos pais em 90% dos casos, entretanto há vários fatores que influenciam nos níveis de pressão arterial, como os hábitos de vida do indivíduo. De acordo com dados da MS, a prevalência de hipertensão no Brasil passou de 22,6% em 2006 para 24,3% em 2017. No mesmo período, o número de mortes pela doença aumentou de 36.710 para 49.640, sendo as mulheres as mais afetadas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a hipertensão arterial um problema de saúde pública, uma vez que o número de casos não para de crescer. Segundo especialistas, aproximadamente 2% e 4% das crianças no Brasil apresentam hipertensão arterial. Embora causas renais, hereditárias ou congênitas estejam relacionadas ao problema, o diagnóstico na infância e na adolescência tem sido cada vez mais similar ao dos adultos.

De acordo com a médica Luciane Rocha, com doutorado pela Universidade Federal de São Paulo e especialista em cardiologia pediátrica e fetal pelo Instituto do Coração – InCor/USP, a hipertensão também chamada de “mal silencioso”, não escolhe idade ou condição social. além de ser um risco para crianças ao longo da vida.     

“A elevação da pressão arterial na infância representa fator de risco para que outras doenças possam se manifestar ao longo da vida adulta. Por outro lado, filhos de pais hipertensos devem redobrar os cuidados com a prevenção desde cedo, pois a pressão alta é uma doença hereditária, crônico-degenerativa, que ataca os vasos sanguíneos e pode provocar lesões graves no coração, cérebro, rins, membros e outras grandes artérias do nosso corpo” alerta Luciane Rocha.

A hipertensão também está relacionada a um estilo de vida que não é saudável devido ao uso abusivo de sal, calorias, gorduras e açúcar de absorção rápida, o que leva ao aumento do peso, do colesterol, dos níveis de açúcar no sangue e predispõe à diabete e à elevação da pressão arterial, apontam especialistas. 

No caso de fatores congênitos, a criança teria de nascer com alguma alteração que tende à doença. A doutora Luciane fala também sobre a coartação da aorta, que ocorre pelo estreitamento da artéria e consequentemente aumento da pressão sanguínea. “O diagnóstico é realizado através do ecocardiograma e a suspeita pode surgir pela pressão arterial elevada em crianças ”. 

Sintomas da pressão alta

De modo geral, a hipertensão não apresenta sintomas específicos. Os sinais costumam aparecer quando a pressão sobe muito e pode ocorrer dor de cabeça, mal-estar, tontura, visão embaçada e sangramento nasal. Medir a pressão periodicamente é o jeito mais simples e exato de fazer o diagnóstico.

Dra.Luciane Rocha enfatiza que uma medida isolada com valores alterados não é suficiente para fazer o diagnóstico de hipertensão arterial. “Muitas vezes, o aumento da pressão é transitório e pode ser consequência da “síndrome do avental branco”. Ou seja, o simples fato de estar no consultório, diante do médico, pode fazer a pressão arterial subir, independentemente da idade. Por isso, crianças e adolescentes só podem ser considerados hipertensos depois de três medições consecutivas, realizadas em ambientes e situações diferentes que confirmem o aumento da pressão arterial”.

Pressão arterial ideal

No Brasil e na Europa, uma pessoa é considerada hipertensa quando seus níveis de pressão arterial alcançam ou ultrapassam 140/90 mmHg (milímetros de mercúrio), popularmente conhecido como 14/9.

No entanto, quando a pressão sistólica está entre 120 e 139 ou a diastólica entre 80 a 89, já é uma condição definida de pré-hipertensão. Nesse cenário, o risco de se tornar hipertenso mais rápido é maior e as chances de enfarte ou derrame aumentam. De modo geral, a pressão arterial ideal para o adulto seria em níveis abaixo de 12/8.

Na infância, a medida da pressão arterial leva em consideração índices que são mais frequentes em crianças normais relacionado a sua altura e a sua idade. “A análise dos níveis da pressão arterial na infância se baseia em critérios estatísticos, usando como referência tabelas com os valores normais da pressão arterial sistólica e diastólica em crianças e adolescentes da mesma idade, sexo e altura. Além disso, a medida da pressão arterial deve ser obtida com aparelhos de pressão com braçadeiras apropriadas para o calibre do braço da criança”, destaca a especialista. 

Luciane Rocha aconselha também que todas as crianças a partir de 6 anos de idade e adolescentes devem medir a pressão arterial com regularidade nas consultas médicas de rotina. Abaixo dessa idade, a pressão deve ser aferida quando há suspeita de hipertensão secundária a outras condições de afetam a saúde.

De modo prático, pode-se dizer que uma pressão a partir de 103/63 mmHg em meninos com idade de cinco anos de idade, de 109/72 mmHg em meninas com dez anos e igual ou maior que 120/80 mmHg dos 13 em diante, em ambos os sexos, já levam a uma forte suspeita de hipertensão.

Tratamento e prevenção de pressão alta

O estilo de vida, geralmente, determina se a criança tem tendência a desenvolver hipertensão ou não. A prática regular de atividade física como, natação, jogar futebol, caminhadas e corridas moderadas. Não é indicado que a criança levante peso, já que pode causar problemas em seu desenvolvimento. Além, de um sono de qualidade, por mais de sete horas, são aliados no tratamento e na prevenção da pressão alta. 

O uso de medicamentos para hipertensão infantil é recomendado apenas caso intervenções anteriores não tenham apresentado resultados positivos. No caso da população adulta e idosa, o uso regular e continuado de medicamentos para baixar a pressão arterial também é uma medida importante para controlar a doença.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com pediatras, cardiologista em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou no serviço público de saúde.

FONTE: Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde, Instituto Nacional de Cardiologia e Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Categorias
neurologia

Dor de cabeça: tipos, causas e sintomas e saiba prevenir

Dor de cabeça: tipos, causas e sintomas e saiba prevenir

Estresse, problemas financeiros, conflitos no trabalho, falta de tempo. São tantas coisas para administrar no dia-a-dia que é difícil não ter, vez ou outra, dor de cabeça. É difícil encontrar alguém que não tenha sofrido pelo menos uma vez na vida de uma dor de cabeça. Entretanto, mesmo sendo muito comum na população, isso não significa que a dor de cabeça pode ser considerada normal. Ela deve ser diagnosticada corretamente e tratada, podendo muitas vezes ser prevenidas e, em alguns casos, investigadas.

Se você apresenta sintomas do tipo, sem dúvida, você se enquadra na estatística de pessoas que vivem tendo dor de cabeça desencadeadas pelo estresse ou outras preocupações. Segundo especialistas pelo menos 63 milhões de brasileiros de todas as idades sofrem com dores de cabeça frequentes, sendo a queixa de maior frequência em pronto-socorros do país.

Considerada uma das queixas mais comuns nos consultórios médicos, perdendo apenas para a dor lombar, a dor de cabeça, também conhecida como cefaleia, tem prevalência de 96%, especialmente entre as mulheres. Isso significa que praticamente todo mundo pode ter esse sintoma ao longo da vida. Um de seus tipos, a enxaqueca, chega a afetar 10% da população mundial.

Apesar de ter um impacto negativo na vida das pessoas, a dor de cabeça é considerada subdiagnosticada e subtratada. Uma das possíveis causas desse quadro é a banalização do sintoma dor de cabeça. Por parecer algo tão normal, as pessoas acabam se automedicando sem pensar em buscar ajuda especializada. Mas não deveria ser assim.

No entanto, de acordo com a Sociedade Brasileira e Internacional de Cefaleia, são mais de 150 os tipos de dor de cabeça. Entre eles, um dos mais conhecidos é a enxaqueca, que vai além de um simples desconforto e interfere na qualidade de vida de quem precisa aprender a conviver com o problema.

Índices da enxaqueca

A enxaqueca afeta cerca de 15% da população brasileira, algo em torno de 31 milhões de pessoas, a maioria na faixa dos 25 aos 45 anos. Após os 50, a taxa tende a diminuir, principalmente em mulheres. Quando se trata de crianças, ocorre em 3% a 10%, afetando igualmente ambos os sexos antes da puberdade. Após essa fase, o predomínio é no sexo feminino.

Entre as mulheres, o problema chega a até 25%, mais que o dobro da prevalência entre os homens, segundo o Ministério da Saúde. A dor é facilmente confundida com a de uma cefaleia comum. Mas, de acordo com a Academia Americana de Neurologia, não é necessário passar por exames de imagem para o diagnóstico. Basta preencher os critérios que identificam a enxaqueca para que o tratamento possa ser iniciado.

Como ela se manifesta? 

Dor de cabeça é todo incômodo localizado na região craniana, ou seja, na testa, têmporas, e até na parte de trás do crânio. Qualquer sensação dolorosa nessa parte do seu corpo é considerada cefaleia. Importante destacar que dor de cabeça não é uma doença, mas um sintoma que precisa ser investigado, caso se repita com frequência.

Por que isso acontece? 

A origem da cefaleia tem causas variadas que podem ser um sinal de alerta para um distúrbio em qualquer parte do corpo, inclusive o cérebro. Potencialmente curável, uma vez tratada, a sensação desaparece. 

A dor de cabeça pode ser uma consequência de:

Gripe;

Meningite;

Sinusite;

Traumas Cranianos;

Tumores;

Problemas na região cervical;

Hemorragias cerebrais e meníngeas, entre outras

A dor de cabeça também pode decorrer de algum problema relacionado ao sistema nervoso central (SNC). O mais comum é a enxaqueca. Incapacitante, ela é tida como uma disfunção herdada, já que acomete cérebros geneticamente predispostos. Nesse caso, a cefaleia será apenas um dos sintomas da doença.

Diferença entre a dor de cabeça comum e a enxaqueca: 

Dor de cabeça comum: Entre os especialistas, ela é também definida como do tipo tensional. Geralmente, a dor comum tem intensidade leve a moderada e abrange toda a cabeça, conferindo-lhe uma sensação de peso ou pressão. Nessa hipótese, o incômodo passa com o uso de analgésico ou breve repouso. 

Enxaqueca: a dor tem características próprias e sempre vem acompanhada de outros sinais, como os abaixo. 

A intensidade é de média a forte; 

A dor acomete um dos lados da cabeça, especialmente testa e têmporas, mas pode migrar para o outro lado ou ser bilateral; 

A sensação dolorosa se manifesta como uma pulsação. É como se um coração batesse na cabeça.

Há maior sensibilidade à luz, sons, odores (perfumes, cheiro de alimentos, fumaça, cigarro etc.); 

Pode ocorrer perda de apetite, enjoo ou vômito; 

Percebe-se dificuldade de digestão, empachamento; 

Sente-se vertigem, tontura ou sensação de desequilíbrio; 

Ansiedade, irritação, cansaço e sonolência; 

A compulsão por doces; 

Há queda da concentração e rendimento no trabalho, entre outros sinais.

Fontes da enxaqueca 

Outra particularidade da enxaqueca é a identificação de gatilhos, ou seja, circunstâncias que podem “ligar” a dor. As mais frequentes são: 

Cansaço; 

Estresse; 

Privação de sono; 

Jejum prolongado; 

Ciclos hormonais femininos; 

Variações climáticas (extremo de clima – calor ou frio, bem como ambiente com ar-condicionado); 

Consumo de álcool.

Tratamento de dor de cabeça

Sem dúvida, vai dependerá da causa da cefaleia. Como a situação mais comum é que se trate de um quadro de enxaqueca, o objetivo terapêutico é reduzir as crises.

Quando a dor está no auge, existem vários medicamentos específicos para o alívio da dor como a botulínica. 

Há também uma gama de estratégias não medicamentosas que incluem fisioterapia, acupuntura, nutrição e terapia cognitivo comportamental. No caso da enxaqueca, é preciso ter em mente que o cuidado será para sempre e que, para um controle consistente, o tempo de espera pode ser de um a dois anos.

Dicas de prevenção 

Alguns fatores desencadeantes não são modificáveis, como as mudanças climáticas e os odores à sua volta, mas você pode praticar hábitos saudáveis que podem diminuir o estresse e reduzir sua chance de ter as crises:

Evite automedicar-se; 

Dormir o suficiente;

Seguir uma alimentação saudável

Procure um neurologista se a dor é aguda ou frequente; 

Pratique atividade física regularmente;

Invista em meditação, yoga ou outras técnicas de respiração; 

Procure comer de três em três horas. Jejum prolongado é gatilho para a dor; 

Evite o estresse ou tome providências para minimizá-lo; 

Fuja do consumo de tabaco, álcool e outras drogas; 

Garanta boa hidratação diária – beba de dois a três litros de água por dia, todos os dias;

Identifique os alimentos que possam ter causado dor de cabeça anteriormente e tente evitá-los;

Mantenha um peso saudável. Excesso de peso é fator de risco para dor de cabeça se tornar crônica.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica, incluindo telemedicina em manaus, de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com clínico geral e neurologista em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou em alguma unidade de saúde pública mais próxima da sua região.

FONTE: Ministério da Saúde, Sociedade Brasileira de Cefaleia