A atenção integral à saúde é um direito de todos, visando a prevenção, bem-estar e qualidade de vida da população

O que são as ciências sociais?

Essa área de ensino superior tem como finalidade estudar os fenômenos, os hábitos e costumes da sociedade, isto é, importante para interpretar melhor as diferentes realidades sociais existentes, assim como para entender quais são os valores morais e sociais que fazem parte de um grupo, sua diversidade cultural e o modo de comportamento dos indivíduos. 

As ciências sociais são importantes para a compreensão das transformações que a sociedade passou ao longo do tempo e, passa até os dias atuais, assumindo um papel fundamental na formação dos cidadãos.

As ciências sociais englobam três diferente áreas, a sociologia, antropologia e ciência política, para compreender o funcionamento da sociedade, além de estudar os fenômenos sociais atuais.

Quem são os cientistas sociais?

Este profissional é responsável pelas pesquisas em ciências sociais e trabalha com a investigação dos diversos aspectos formados pelo indivíduo e como o seu comportamento têm influência na sociedade.

Para se tornar um cientista social, o indivíduo deve estudar pelo menos quatro anos nos graus de bacharelado e licenciatura em curso de ciências sociais. O curso pode ser presencial ou a distância e ser reconhecido pelo ministério da educação (MEC).

O mercado de trabalho abrange várias áreas, além de trabalhar como pesquisador em institutos de pesquisa, o profissional pode ministrar aulas, realizar palestras, trabalhar em órgãos públicos e privados, organizações (ONGs), que necessitam de um profissional qualificado.

Qual é o papel das ciências sociais na área da saúde?

Para entender mais sobre o assunto, é importante ressaltar o papel da saúde coletiva na sociedade, que está relacionada a aplicação de técnicas que possam contribuir na resolução dos problemas e situações relacionados a saúde das pessoas, tendo como objetivo promover a qualidade de vida dos grupos sociais.

Quando falamos de políticas públicas, logo associa-se aos direitos básicos do cidadão, como saúde, educação, segurança, saneamento e habitação. 

Ao abordamos esses direitos, logo percebemos a precariedade e descentralização da saúde básica no Brasil. 

Há quem diga que a saúde pública no país está um caos, principalmente pela falta de investimentos por parte do poder público. No Brasil, é bastante comum encontrar as unidades de saúde lotadas e sem as condições mínimas para atender a população. 

Ao longo do tempo, a atenção à saúde básica têm sofrido várias alterações e, uma das mais significativas foi a colaboração das ciências sociais para a saúde coletiva, tendo como foco principal a relação entre médico e paciente, não sendo apenas técnico e biológico, mas, humanístico ao lidar com o cidadão e não somente com a doença, visando o pleno bem-estar dos grupos sociais.

Portanto, a inclusão das ciências sociais na formação do profissional em saúde, contribuiu com a conduta do médico na área, tornando os atendimentos mais humanizados, mantendo uma relação calorosa com o paciente que necessita dos mais variados cuidados médicos, tanto social como de saúde. 

As ciências sociais contribui para a melhoria do sistema de saúde, estudando e aplicando estratégias que possam cooperar com a promoção da saúde para a sociedade, através das estruturas organizacionais públicas.

O que é a saúde pública?

Para falar sobre a saúde pública é importante frisar o papel do estado dentro dessas medidas que garantem a qualidade de vida e o bem-estar da população. A saúde pública abrange medidas relacionadas a prevenção de doenças, a higiene e manutenção da saúde da população. Essas medidas são capazes de promover a saúde individual através de campanhas feitas para o coletivo.

Para alertar as pessoas sobre o risco dessas endemias que atingem parte da população, principalmente nas áreas subdesenvolvidas, o estado propõe através das campanhas de vacinação a prevenção para as doenças como a dengue, febre amarela, sarampo, meningite, tuberculose, entre outras que têm preocupado os órgãos públicos e a sociedade.

O agente da saúde pública desempenha a atividade de vigilância sanitária e epidemiológica, alertando a população através de ações educativas sobre os riscos que às endemias podem trazer em termos de mortes e agravação dessas doenças entre a coletividade.

É através do Sistema Único de Saúde (SUS), que as ações são feitas. O sistema de saúde engloba o tratamento de doenças de baixa e alta complexidade, além dos serviços de urgência e emergência, como também o combate às endemias e serviços de vigilância epidemiológicas, sanitárias e ambientais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *